FGTS – Como usar em caso de demissão.

Uma das principais dúvidas das pessoas no momento de sacar o FGTS tem a ver com a maneira que o contrato de trabalho foi encerrado. Basicamente há duas maneiras principais de se desligar de uma empresa. Uma delas é ser demitido e a outra é pedir demissão.

No caso de pedir demissão a lei considera que você está fazendo isto porque já tem outro emprego ou outra fonte de renda e portanto não precisaria do fundo de garantia por tempo de serviço, o FGTS. Portanto se pedir demissão você não poderá sacar o seu FGTS.

As leis trabalhistas são bem antigas e não consideram situações comuns das novas formas de trabalho existentes hoje em dia. Em todo caso este não é o foco deste artigo.

Por outro lado o saque do FGTS é permitido se você for mandado embora, isto é: demitido. Fato obrigatório é que deve ser uma demissão SEM justa causa. Em outras palavras: se a empresa decide que não continuará tendo você como funcionário e quer lhe demitir, você terá direito de sacar o benefício acumulado do FGTS.

Um vídeo do portal R7 explica também como funciona o saque do FGTS no caso de demissão sem justa causa.

O que importante a se pensar no caso do FGTS é que não compensa deixar o SALDO na conta da Caixa. Se você já tiver atingido os requisitos necessários para sacar, faça o saque assim que puder e aí sim invista o dinheiro em aplicações realmente rentáveis, caso você possa fazer isto.

Outro local com informações oficiais a respeito do FGTS é o site da Caixa, banco responsável por manter as contas do FGTS de todo trabalhador brasileiro. Mais precisamente no FAQ da Caixa várias perguntas são respondidas sobre o saque do FGTS. Dê uma lida e tire estas e outras dúvidas. Provavelmente você não terá sanado todas as suas dúvida ao ler o FAQ da Caixa e ao ligar lá eles farão o possível para você ir até a agência. Muito cuidado para não cair na lábia dos gerentes e acabar abrindo uma conta na Caixa sem necessidade!

Ficaremos felizes em saber o que achou disso

Leave a reply